Em gestão corrente ...como o País...

Agosto 12 2007

 

   No dia do centenário do nascimento de Miguel Torga, um poema de 1950

     

   Quase um poema de amor

   

   Há muito tempo já que não escrevo um poema

   De amor.

   E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!

   A nossa natureza

   Lusitana

   Tem essa humana

   Graça

   Feiticeira

   De tornar de cristal

   A mais sentimental

   E baça

   Bebedeira.

    

   Mas ou seja que vou envelhecendo

   E ninguém me deseje apaixonado,

   Ou que a antiga paixão

   Me mantenha calado

   O coração

   Num intimo pudor,

   - Há muito tempo já que não escrevo um poema

   De amor.

   

   Coimbra, 7 de Fevereiro de 1950

   Miguel Torga,

   in "Antologia Poética", 1985

     

 


emgestaocorrente às 15:49

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
16
17

19
20
21
22
23
24
25

31


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO