Em gestão corrente ...como o País...

Julho 23 2009

Do blogue
www.euelaeaescrita.blogspo
t.com
da minha amiga Graça Martins,retirei este poema de Isabel de Sá, que retrata muito da minha geraçao dos anos 60!





SERÁ NO PRÓXIMO SÉCULO?

O nosso amor arrasou cidades. Éramos
muito jovens e pensávamos assim.
O mundo pertencia-nos. Ninguém
percebia mas nós vivíamos contra
tudo - era um acto político.

Assim alguns seres no mundo
construíram vidas, amaram
e sofreram isolados, por vezes
espoliados, queimados na fogueira.

Mas o nosso amor resistirá
às fronteiras, aos muros de fogo
e à injustiça. Gostaríamos de viver
o tempo da verdadeira transformação,
da felicidade universal. 
   


 

emgestaocorrente às 19:28

Julho 23 2009

   

Matilde, nome de planta ou pedra ou vinho,
de tudo o que nasce da terra e dura,
palavra em cujo crescimento amanhece,
em cujo estio estala a luz dos limões.

Nesse nome correm navios de madeira
rodeados por enxames de fogo azul-marinho,
e essas letras são a água de um rio
que desagua no meu coração calcinado.

Ó nome descoberto sob uma trepadeira
como a porta dum túnel desconhecido
que comunica com a fragrância do mundo!

Oh, invade-me com a tua boca abrasadora,
pesquisa-me, se quiseres, com os teus olhos nocturnos,
mas no teu nome deixa que eu navegue e durma.

 


 

emgestaocorrente às 18:54

Julho 23 2009

                 

se não me queres no vento agreste
paro de te soprar no coração. pousa
o pássaro, pousa a tinta, posam as
folhas a tua mão.

vê-me no campo, entre os seres criados
para comer os raios do sol.



Valter Hugo Mãe, in
"Anos 90 e agora", selecção e organização de Jorge Reis-Sá,
Ed. Quasi, Vila Nova de Famalicão, 2001

 

 


 

emgestaocorrente às 18:44

mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
29
30
31


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO