Em gestão corrente ...como o País...

Julho 11 2007

             

Do Blogue  A Ver O Mundo , com a devida vénia, rapinei o post  que a seguir se publica:

 

Quarta-feira, 11 de Julho de 2007

Matemática, matemática, para que te quero…

 

Depois de mais de 2 anos de política educativa, depois da maior perseguição política feita aos professores, de que há memória, depois de mirabolantes planos da matemática, eis os resultados: nos exames do 9.º ano, as negativas subiram de 63% para 72,8%. É um aumento exponencial. Isto mostra que o Ministério da Educação não percebe nada do que se passa nas escolas. Não faz a mínima ideia por que razão os resultados são o que são. Não conhece professores, alunos e famílias. Alimenta-se do ódio aos docentes. Sobre a putativa melhoria em Língua Portuguesa, basta olhar para os exames para percebermos a essência da coisa. Medidas: continuar com a política actual. Brilhante.

emgestaocorrente às 22:26

Julho 11 2007

Lágrimas de crocodilo

 

Após muitas semanas do escândalo andar nas bocas do mundo, encher páginas da comunicação social e se ter espalhado por todos os cantos da blogosfera, o Primeiro Ministro José Sócrates, subitamente, e na véspera da repreensão pública do Presidente da República, veio chorar baba, ranho e lágrimas de crocodilo pelo acontecido aos dois professores que, em estado terminal, viram negados os seus pedidos de aposentação.
Sabe-se agora, pela voz politicamente inábil da Ministra da Educação, que o Governo já estava a par da situação muito tempo antes do conhecimento público daquelas situações escandalosas.
Realmente esta ministra tem a mesma sensibilidade politica do seu colega da saúde: ambos possuem a delicadeza de elefantes em loja de porcelanas.
E sobre quem recaem as culpas?
Obviamente, os suspeitos são os do costume: o anónimo funcionário administrativo que integra as "Juntas Médicas".
Mas as juntas não são constituídas por 2 médicos (sendo um o Presidente, com voto de qualidade) e 1 administrativo? Então como é que a culpa é do elo mais fraco - o administrativo? Então não tem apenas 1 voto em 3?
É óbvio que a culpa ou é dos médicos que são incompetentes ou do governo que lhes deu ordem para inviabilizarem as aposentações.
E já agora: a Ordem dos Médicos estava a dormir? Só depois de instada a pronunciar-se pela comunicação social é que teve uma palavra a dizer, alinhando mais uma vez pela orientação governamental, dando a entender que a culpa da situação é do tal administrativo e desajeitadamente, e à pressa, propondo como solução a abertura de uma nova competência/especialidade: a Medicina Social e de Seguros, ou ridicularia semelhante!
Para quem já foi ministro do Beato Guterres, o tal das pessoas primeiro, nada mau!
    


mais sobre mim
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29
30
31


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO