Em gestão corrente ...como o País...

Maio 22 2011

 

   O PS e José Sócrates resolveram fazer um comício na Praça do Giraldo, em Évora.

   Não se prevendo assistência que componha o recinto, alugam-se camionetas em Lisboa, enchem-se com africanos, paquistaneses e outros personagens exóticos, distribui-se 1 saco de farnel a cada um e oferece-se um passeio até Évora!

   Entrevistados pela TV, não fazem a mínima ideia do que estão ali a fazer.

   Reportagem vista agora mesmo na SIC Notícias!

   Vale tudo!

   É fartar vilanagem!

 



Abril 05 2010

Um grande Escuteiro:
O Público reuniu provas de que Sócrates, já em exclusividade como Deputado e a receber como tal, "assinou" dezenas projectos de casas horrorosas e ainda por cima com erros (o que lhe valeu uma repreensão por escrito de uma Câmara PS).
O seu gabinete declara que os projectos foram feitos gratuitamente!
Que grande escuteiro!

Obrigado "Eng.º"!


emgestaocorrente às 11:36

Fevereiro 08 2009

  

   Jorge Carreira Maia no indispensável "A ver o mundo":

Causas da esquerda

 

 

«O secretário-geral do PS, José Sócrates, classificou hoje em Coimbra a regionalização e o casamento entre homossexuais como bandeiras que identificam o Partido Socialista com a esquerda progressista e a esquerda do povo.» Por muito que medite, ainda não consegui compreender por que razão o "casamento" entre homossexuais é uma questão de esquerda ou de direita. Mas se o Partido Socialista e o seu magnífico chefe acham, quem sou eu para recordar que a orientação sexual ou os negócios afectivos não têm cor política. Dir-me-ão: a permissão do casamento é uma bandeira de esquerda, como salienta Sócrates. Mas a esquerda não viu durante muito tempo o casamento como algo que fazia parte das estruturas jurídicas reaccionárias e opressoras? Não será a extensão do casamento aos pares homossexuais a extensão da opressão àqueles que são livres? Quanto à regionalização o problema é idêntico. Por que razão o retalhar do país em feudos será uma questão de esquerda? Será que Sócrates se está a preparar para acolher no seu partido o dr. Luís Filipe Menezes e o autarca-poeta Mendes Bota?
      

 

emgestaocorrente às 10:59

Fevereiro 08 2009

       

   José Pacheco Pereira no "Abrupto":

     

          


(JPP)

 

AS BIOGRAFIAS DO NADA

Clicar para aumentar.
Não é crime nenhum não ter biografia "antifascista", em particular quando se era demasiado novo para se perceber em que país é que se vivia. Mas existe a mania de encontrar sempre algum obscuro traço de oposição ao regime, uma legitimidade a anteriori no antes do 25 de Abril. Esse exercício existe no PSD, onde já tem levado a situações um pouco caricatas, mas é mais comum no PS. Já Guterres, que nunca teve qualquer vislumbre de oposição e que, bem pelo contrário, estava a iniciar uma carreira de jovem quadro tecnocrático no regime, atribuía-se uma vago "trabalho social" que manifestaria a sua insatisfação, logo o embrião de um embrião de um embrião de oposição a Salazar e Caetano. Agora é Sócrates que, supostamente, se "deliciava" junto com o pai na leitura dos "livros incómodos para o regime", encomendados através da Seara Nova, como refere hoje uma reportagem na revista NS distribuída com o Diário de Notícias e Jornal de Notícias. Coitado do jovem José Sócrates, então com 15 ou 16 anos, a "deliciar-se" com os sérios e macambúzios livros da Seara Nova... Será que quem disse, ou quem escreveu isto, faz mesmo ideia que livros eram esses? Será que quem disse ou quem escreveu isto, faz mesmo ideia que a expressão "deliciar" é um completo absurdo para descrever a atitude de alguém que, antes do 25 de Abril, lia "livros incómodos para o regime"?

O problema destas biografias de gente sem biografia, biografias do nada, é que se enchem de factos irrelevantes e triviais, interpretados de modo a construir uma "imagem", quando não há nada de interessante para essa construção. A não ser mostrar como se pode ter sucesso no plano político com pouco mais que nada de vida ou nada na vida. E Sócrates está longe de ser único.

    


 

emgestaocorrente às 10:53

Fevereiro 02 2009

     

  Meia dúzia de titulos tirados ao acaso, na comunicação social de hoje, dão-nos bem  ideia do estado a que o nosso país chegou após os últimos 13 anos de desgoverno (dos quais 10 foram do PS).

  Universidades que encerram, intermitentemente, para poupar dinheiro; delinquentes já aos 10 anos; clientes que pedem preços e saldos às prostitutas (até esta "actividade" está em crise!); assaltos à mão armada por todo o país e constantemente; mulheres a conduzir quase em coma alcoólico; milhares de desempregados (500.000?) e milhares de "ainda" empregados, mas que não recebem salários; reuniões de emergência para fazer face à subida constante dos assaltos a casas; "doutoramentos" (!!!) comprados  na net (atenção "Eng.º" Sócrates, já pode comprar um doutoramento para juntar à sua "licenciatura" dominical!) e, finalmente, mais violência mais violência!!!

   Ora tomem e orgulhem-se do nosso país!

 

crise financeira 

Para poupar Universidade do Minho encerrou duas semanas

<input ... >Hoje às 11:31

A reitoria da Universidade do Minho encerrou durante 15 dias, nas semanas do Natal e do Ano Novo, mantendo a funcionar apenas os serviços imprescindíveis. O pró-reitor, João Monteiro, afirma que a poupança foi significativa, mas sublinha que não é um bom sinal.

 

("TSF" de hoje)

 

 

Faro: Professora agredida à dentada por aluno de 10 anos


Um aluno, com 10 anos, do 5º ano de uma escola em Faro agrediu à dentada uma professora, um caso que envolveu a polícia e do qual a docente pretende apresentar queixa nos próximos dias, disse a própria à Lusa.

 

("Diário Digital" de hoje)

 

 

 

02 Fevereiro 2009 - 00h30
Prostituição: Custos elevados em casas levam mulheres para a rua

Clientes querem sexo mais barato

É uma actividade como tantas outras e está igualmente a sofrer com a crise financeira. As dificuldades no negócio do sexo no Algarve estão a levar dezenas de prostitutas para as estradas, com destaque para a EN125 – a principal via da região turística – onde cerca de 20 mulheres estão a oferecer serviços sexuais.
 

Os números, ao que o CM conseguiu apurar, são bastante reveladores e apontam para a quase duplicação das mulheres a escolherem as estradas para ganhar a vida a vender o corpo. A razão é simples: "Os clientes querem sexo cada vez mais barato e trabalharem em apartamentos começa a custar muito dinheiro", justificou Daniela ao CM, uma estrangeira ligada ao negócio do sexo em apartamentos da região.

Segundo dados apurados pelo nosso jornal através do MAPS – Movimento de Apoio à Problemática da Sida –, há neste momento nas ruas da região cerca de 150 mulheres a prostituir-se. Portimão, Quarteira, Olhão e, recentemente, ao longo da EN125 são as zonas preferidas para o negócio. Em 2007 o número não chegava a 80 mulheres, o que significa que quase duplicou durante o ano de 2008.

("Correio da Manhã" de hoje

 

 

02 Fevereiro 2009 - 00h30
Há cerca de uma semana, o mesmo posto de abastecimento de combustíveis tinha sido roubado por dupla de encapuzados

Assalto armado a bombas

As bombas da Petro-Reiros em Vandoma, Paredes, foram anteontem assaltadas por uma dupla de encapuzados armados de pistolas cerca de uma semana depois do último assalto. Aquela estação de serviço já foi alvo de três roubos em pouco mais de um mês.

 

("Correio da Manhã" de hoje)

 

 

02 Fevereiro 2009 - 00h30
Detida pela GNR em Canelas, Vila Nova de GaiaCondutora apanhada com 3,35 g/l de álcool

 

Uma mulher de 42 anos foi apanhada na madrugada de ontem pela GNR a conduzir com 3,35 g/l de álcool no sangue, quando circulava na freguesia de Lagarteira, Canelas, Vila Nova de Gaia.

 

("Correio da Manhã" de hoje)

 

Três mil trabalhadores com salários em atraso

   

 

Crise. Muitas empresas ainda não pagaram subsídio de Natal

Mais de três mil trabalhadores, empregados em 60 empresas de todo o País, tinham, em Janeiro, os seus salários em atraso, a maioria dos quais referentes ao mês de Dezembro e ao subsídio de Natal.

As empresas das indústrias química, metalúrgica, têxtil, vidreira, do calçado, corticeira, da construção civil e eléctricas estão no topo da lista das empresas em falta.
 
'Homejacking' provoca reunião de emergência


VALENTINA MARCELINO
 
Insegurança. O Gabinete Coordenador de Segurança esteve reunido de emergência para definir estratégias de combate aos assaltos violentos a residências. A reunião aconteceu na quinta-feira, após as forças de segurança reconhecerem que este crime aumentou, sobretudo no Grande Porto e Algarve
 
Teses de doutoramento à venda por 50 mil euros


CARLA AGUIAR
 
 
Ensino Superior. A massificação dos doutoramentos, que triplicaram em dez anos, abriu a porta ao negócio e à falsificação. Vendem-se teses por milhares de euros e alguns são plágios. Só pontualmente é que os professores dão conta de que se trata de cópias, facilitadas pelas bases de dados na Internet

("Diário de Notícias" de hoje)

 

 

Homem baleado

Assalto violento em Gaia

 

Três homens encapuzados e armados assaltaram esta segunda-feira o gerente do Intermarché de Avintes, Gaia, baleando o responsável e roubando cerca de 30 mil euros.

     


 


Fevereiro 02 2009

    

   Do "Correio da Manhã" de hoje uma excelente crónica de António Ribeiro Ferreira; com a devida vénia:

     

      

02 Fevereiro 2009 - 13h08
Estado do Sítio

 

  Lavandaria rosa

 

   O senhor Presidente da República classificou o caso Freeport como um assunto de Estado. É natural que esta afirmação de Cavaco Silva já esteja a ser devidamente analisada pela central de contra-informação rosa que pretende reduzir o processo de Alcochete a uma campanha negra, uma miserável cabala, uma urdidura, uma infame ignomínia montada por uma central que pretende atingir pessoal e politicamente o senhor Presidente do Conselho e, por tabela, decapitar a direcção do Partido Socialista.

   Nada de novo, portanto. A imaginação dos pobres agentes da central de contra-informação rosa anda, manifestamente, pelas ruas da amargura. Imaginam que os bons resultados obtidos no processo de pedofilia da Casa Pia se vão repetir neste caso Freeport. Acontece que as situações são diferentes, a violação de menores não se compara à corrupção ou ao tráfico de influências e, para azar dos contra-informadores, no terreno também anda uma autoridade inglesa, a Serious Fraud Office, que legitimamente quer saber para que bolsos foram parar uns milhões de libras de uma empresa britânica que acabou falida e vendida a baixo preço a um grupo liderado por altas figuras da política norte-americana, com estreitos laços a eminentes figuras deste sítio corrupto, manhoso, pobre, deprimido e obviamente cada vez mais mal frequentado.

   É evidente que a estupidez e tacanhez dos agentes da central de contra-informação vai ao ponto de negar legitimidade às autoridades ingleses de investigar personalidades lusas, sejam elas quais forem, suspeitas de ter participado de forma criminosa no processo de licenciamento do Freeport. É evidente que a central de contra-informação tem alguns pequenos problemas. Não conseguiu explicar até agora porque é que o Ministério Público luso decidiu entrar numa empresa e numa casa de um tio do senhor Presidente do Conselho e tenta atirar para o caixote do lixo uma interessante conversa entre tio e sobrinho em que é denunciada uma tentativa de extorsão de dinheiro.

   É obvio que os e-mails enviados pelo primo aos promotores a pedir contrapartidas e as mensagens destes para a empresa a justificar o pedido de avultadas verbas para subornos são, para os contra-informadores, não factos mas apenas peças da tal campanha negra. Neste sítio, pelos vistos, não há corruptos e corruptores. Só há gente que fez fortunas por milagre e uns tantos almocreves que fazem autênticos milagres nas lavandarias do regime.

 

António Ribeiro Ferreira, Jornalista

     


 


Janeiro 19 2009

  

   O ensino está como está?

   Os professores estão novamente em greve?

   Ameaçam com novas manifestações?

   - Encomenda-se uma reunião ao sinistro Madaíl, com um espanhol, para anunciar a candidatura a qualquer coisa do futebol e as noticias da greve logo desapareceram dos noticiários!

 

   A economia afunda-se?

   As empresas exemplares, a quem o governo distribuiu milhões, estão a fechar ou a despedir pessoal?

   O desemprego cresce para níveis nunca vistos?

   A classe média (essa mesma!) já recorre ao banco alimentar?

   Já não é possível negar por mais tempo a recessão económica, que toda a gente sabia existir desde há mais de meio ano?

   - O mágico "eng.º" promete aos portugueses o "casamento civil entre pessoas do mesmo sexo"!!!

    

   Ora tomem lá, de uma só assentada,  3 posts do "31 da Armada" e entretenham-se!

 

 

 

    

vocabulogia
   O que eu mais gosto na nossa esquerda é a vocabulogia da coisa. Por exemplo: "Aborto". "Aborto" é uma coisa feia, horrível. Algo que ninguém, de bom senso, aprovaria. Somos todos contra o "aborto". Mas a “interrupção voluntária da gravidez” é logo outra coisa. Muito mais higiénica muito mais simpática e neutra. Quando vi que os jornais começavam a chamar ao “aborto” “interrupção voluntária da gravidez” percebi que íamos perder o referendo.
   E depois do “aborto”, perdão, “interrupção voluntária da gravidez”, vem aí o “casamento gay”. Perdão. “Casamento civil entre pessoas do mesmo sexo”.
publicado por Rodrigo Moita de Deus

 

 

 

gays-objecto

Título alternativo: 1 homem, 3 posições

   1. José Sócrates diz que se o Partido Socialista chegar ao Governo, não vai propor o casamento entre homossexuais. «Nós não propomos o casamento entre homossexuais, nós não propomos a adopção de crianças de crianças por casais homossexuais», referiu o candidato socialista - Sócrates, há menos de 4 anos

   2. O casamento de homossexuais não está na agenda política nem do Governo nem do PS. Não está no programa do Governo do PS e o PS não anda a reboque de nenhum outro partido - Sócrates, há 4 meses

   3. Casamento gay será vitória da sociedade - Sócrates, ontem
 

  

publicado por Rui Castro

    

   

dementia praecox

Sócrates: não tem credibilidade quem muda de opinião sobre o TGV.

Sócrates: casamento gay será vitória da sociedade. [2 meses depois de ter "encomendado" aos deputados na AR o chumbo de um diploma que o previa]

 

publicado por Rui Castro
   

 


Janeiro 18 2009

  

   Do "31 da Armada":

   

Uma potência diplomática
     

Poucas horas depois de Portugal ter decretado um embargo ao fornecimento de armas a Israel, o governo de Olmert anunciou um cessar-fogo unilateral. Seguindo a doutrina Sócrates quanto à Euribor, é caso para dizer que Portugal criou as condições para a paz no Médio Oriente.

 

 

   Mais um milagre do "Eng.º"!!!

  


 


Dezembro 07 2008

 Do "Correio da Manhã"

Primeiro-ministro defende mais investimento público

"O País precisa do Estado", diz José Sócrates

José Sócrates defendeu este domingo “o reforço do investimento público” no próximo ano, frisando que “este é o momento em que o País precisa do Estado”. O Primeiro-ministro aproveitou ainda para, implicitamente, anunciar a sua recandidatura em 2009
 

   Mas o Estado existe sem o dinheiro dos nossos impostos?

   O dinheiro que o Estado vai investir não é o nosso dinheiro?

   Ou o dinheiro vai sair apenas do bolso do benemérito "Eng.º"?

   Afinal quem precisa de quem?

  


 

emgestaocorrente às 19:30

Setembro 17 2008

   

   Nos últimos 2 meses o preço do barril de petróleo, no mercado internacional, baixou 40%.

   Em Portugal os produtos petrolíferos baixaram 4%!!!

   Ó da guarda que alguém me está a roubar!!!

     


 


Agosto 01 2008

               

   Do "0 de conduta" um texto, para ler com toda a atenção de Pedro Sales.

      

      

Quinta-feira, 31 de Julho de 2008
Publicidade enganosa

Primeiro foram as notícias que davam conta de uma nova fábrica da Intel em Portugal. Um sucesso, garantia-se, que já tinha 4 milhões de encomendas ainda antes de ser instalada a primeira pedra. Um investimento que iria criar 1000 postos de trabalho qualificados, na zona de Matosinhos, graças à diligência do Governo. A apresentação foi ontem. Com pompa e circunstância a imprensa andou dois dias a anunciar o “primeiro portátil português”. O Magalhães é um computador inspirado no navegador, diziam ontem as televisões em coro. Para dar credibilidade à coisa, o mais famoso relações públicas nacional e o presidente da Intel subiram ontem ao palco do Pavilhão Atlântico para a "apresentação mundial" deste computador de baixo custo.

 

Um único problema. Não só o computador não tem nada de novo como a única coisa portuguesa é a localização da fábrica e o capital investido.  A "novidade mundial" ontem apresentada, já tinha sido anunciada a 3 de Abril - no Intel Developer Forum, em Shangai - e foi analisada pela imprensa internacional vai agora fazer quatro meses. O tempo que tem a segunda geração do Classmate PC da Intel, que é o verdadeiro nome do Magalhães. De resto, o primeiro computador mundial para as crianças dos 6 aos 11 anos, características que foram etiquetadas pela imprensa lusa por ser resistente ao choque e ter um teclado resistente à agua, já está à venda na Índia e Inglaterra. No primeiro país com o nome de MiLeap X, no segundo como o JumpPC. O “nosso” Magalhães é isso mesmo, uma versão produzida  em Portugal sob  licença da Intel, uma história bem distinta da  habilmente "vendida" pelo governo para criar mais um caso de sucesso do Portugal tecnológico.

 

Fábrica da Intel nem vê-la e os tão falados 1000 novos postos de trabalho ainda menos, tudo se ficando por uma extensão da actual capacidade de produção da fábrica da JP Sá Couto. Serão 80 novos empregos, 250 se conseguirem exportar para os Palops. Os tais 4 milhões, que já estavam assegurados, lembram-se? Só que as 4 milhões encomendas não passam de wishful thinking do nosso primeiro. E muito pouco credível. Em todos os países onde o computador está à venda é produzido através de licenças com empresas locais. Como explicou o presidente da Intel, a empresa continua à procura de parceiros locais para ganhar quota de mercado com o Classmate PC, não o Magalhães.

 

A guerra de Intel é outra, como se pode perceber no relato que um dos mais reputados sites tecnológicos - a Arstechnica, do grupo editorial da New Yorker - faz da apresentação da Intel e do governo português: espetar o derradeiro prego no caixão do One Laptop for Child, o projecto de Nicholas Negroponte e do MIT para destinar um computador a cada criança dos países do terceiro mundo. É essa a importância estratégica para a Intel. O resto é fogo de vista para português ver.
 

PS: Não tenho nada contra a iniciativa em si, parecendo-me meritório um projecto para garantir um contacto precoce de milhares de alunos com a informática. Mas isso não quer dizer que aceite gato por lebre. Não seria nada mau sinal se a imprensa nacional, que andou a vender uma história ficcionada, também cumprisse o seu papel. 



 

publicado por Pedro Sales às 09:07
         

 

emgestaocorrente às 10:55

Julho 21 2008

   

   Do"Blasfémias", este post:

     

a mais velha profissão do mundo
     

   Sócrates e Kadafi, tendo ambos salientado a «grande amizade» entre os governos dos dois países (Sócrates, 19 de Julho, Líbia)

   O Primeiro-Ministro de Portugal, José Sócrates, considerou ontem “verdadeiramente esmagadores” os índices de crescimento económico que Angola tem vindo a registar nos últimos anos. (Sócrates, 17 de Julho, Angola)
   O primeiro-ministro, José Sócrates, agradeceu esta quarta-feira ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o acordo para que a GALP entre na exploração, produção e comercialização de petróleo venezuelano. (Sócrates, 14 de Maio,
Venezuela)

   José Sócrates considera que a China está a mudar a ordem mundial, é uma das mais pujantes economias emergentes, e que Portugal tem de estar presente, de ter mais empresas na China, independentemente dos juízos políticos que se façam, nomeadamente acerca da situação dos direitos humanos. «Temos de moldar a nossa política externa à medida que vão evoluindo as mudanças geopolíticas (Sócrates, Janeiro 2007, China)

   Governo recusa receber Dalai Lama (Setembro 2007, Portugal)



publicado por Rui Castro às 08:42
link do post | Nelson Mandela faz hoje 90 anos | parabéns pá (7) |

 


Julho 21 2008

   

   Francisco José Viegas no "Origem das Espécies" escreveu o post que a seguir se publica.

               

21 de Julho de 2008
||| Política de emergência

  O retrato do primeiro-ministro é o de um gestor em dificuldades, e é pena.

   Enquanto deixa aos outros – medíocres – a tarefa de fazer política, ele anda de malas aos tombos, a fazer negócios aqui e ali, em Angola e na Líbia, onde estão mercados ao nosso alcance.

   A política está pobre e ele aproveita para captar fundos. Longe do PS doméstico, uma espécie de rumor distante e cacofónico, Sócrates distribui elogios a Eduardo dos Santos e a Khadafi, como se isso não tivesse importância.

   Não deve ter, porque daqui a nada vem Hugo Chávez e os dois darão um forte abraço em nome dos negócios e do petróleo.

   Portugal transforma-se num cenário atípico da política de emergência, flutuando e vendendo ao melhor preço.

   Não é isso que ela, a política, tem sido nos últimos tempos?

[Da coluna do Correio da Manhã.]


 

 


Maio 19 2008

  

   Da TSF retirei esta noticia que mostra as maravilhas económicas do governo do "eng.º" e do cromo do Pinho ( o Ministro da Economia que foi a Itália comprar sapatos porque não sabia que se fabricavam em Portugal!!!).

   O investimento estrangeiro, em Portugal, caiu para menos de metade de 2006 para 2007!!!, ao contrário do que aconteceu no resto da Europa.

   Ainda é preciso esperar quanto tempo para correr com estes cromos que nos governam?

   

 

Eurostat Foto©Direitos Reservados
• EUROSTAT
Empresas estrangeiras investem menos em Portugal
As empresas portuguesas apostaram muito menos em Portugal no ano passado. O investimento directo estrangeiro caiu mais de metade, pelos dados do Eurostat.
 
( 14:19 / 19 de Maio 08 )

 

As empresas estrangeiras investiram menos em Portugal, no ano passado, com o investimento directo estrangeiro a registar uma quebra superior a 50 por cento.

Pelos dados do Eurostat, as empresas europeias investiram no nosso país 2 mil e 800 milhões de euros em 2007. Quanto ao ano anterior, em 2006, esse valor chegou quase aos 6 mil milhões e meio de euros.

Quanto às empresas fora da Europa a 27, também apostaram menos na economia nacional com o investimento a fixar-se nos mil e 300 milhões de euros, no ano passado contra 2 mil e 700 milhões em 2006.

Esta tendência de forte baixa contrasta com o resto da União Europeia que conseguiu aumentar os níveis de investimento no estrangeiro.

Pelos dados revelados pelo gabinete de estatística de Bruxelas, também o investimento de empresas portuguesas no estrangeiro sofreu uma queda.

Na Europa, os grupos nacionais investiram apenas 2 mil e 800 milhões de euros no ano passado, uma quebra de quase mil milhões em relação ao ano anterior.
 

         


 


Maio 19 2008

    

   Parece impossível mas tudo o que os portugueses ganharam com o seu trabalho desde 1 de Janeiro até hoje foi parar direitinho para os cofres do Estado.

   Só a partir de amanhã, quase metade do ano, é que o dinheiro ganho reverte para os próprios trabalhadores.

   Em relação ao ano passado, o número de dias de trabalho necessários para pagar os impostos ao Estado aumentou mais um dia!

   Um Estado cada vez mais insaciavelmente glutão que oferece cada vez menos aos seus contribuintes!

   Viva o Estado, viva o socialismo, viva o Sócrates (que não conhece a lei que impôs aos portugueses e, por isso não paga as multas que cobra aos outros)!!!

   


 

emgestaocorrente às 21:48

Maio 13 2008

         

   Rapinado, com a devida vénia, do "31 da Armada". Sem comentários!!!

     

nojo
    

"O primeiro-ministro, José Sócrates, o ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, e vários membros do gabinete do chefe do Governo violaram a proibição de fumar no voo fretado da TAP que ligou Portugal e Venezula e que chegou às cinco horas da manhã de ontem a Caracas (hora de Lisboa, 23h30 na capital venezuelana). O assunto foi muito comentado durante o voo por membros da comitiva empresarial que acompanha Sócrates e causou incómodo a algum pessoal de bordo." (Público)

Não se pode esperar muito de quem se prepara para, em troca de uns barris de petróleo, agachar perante quem há dias comparou Angela Merkel a Hitler e faz gala em ser amigo de sujeitos como os presidentes do Irão, de Cuba ou do Zimbabwe. Ainda assim, a pouca vergonha devia ter limites e atitudes como esta, a confirmarem-se, dizem muito sobre o carácter de quem nos governa. É de lixo que se trata quando, no uso da autoridade que o Estado lhes confere, estes indíviduos violam as leis que sem apelo nem agravo impõem àqueles que governam.


 

publicado por Rui Castro às 14:11
 
            

 


Abril 05 2008

    

   No culminar de uma longa e diversificada carreira como principal tractor do aparelho do PS, Jorge Coelho, esse prestigiado  e experiente empresário e gestor de empresas, vai ser nomeado como Presidente da construtora Mota-Engil , pelo que, alegando falta de tempo, vai deixar de fazer propaganda semanal ao governo e a José Sócrates na "Quadratura do Círculo" (SIC-Noticias , 4ªs à noite).

   Para o seu lugar avança António Costa, outro experiente publicitário do José Sócrates, actualmente Presidente da Câmara de Lisboa.

   A Câmara de Lisboa será tão fácil de dirigir que ao seu Presidente sobra o tempo?

   Haja Deus!

   

 



Março 19 2008

     

  Com pompa e circunstância José Sócrates foi à Assembleia da República anunciar esta extraordinária medida: os idosos vão passar a pagar apenas metade das taxas moderadoras nos hospitais e centros de saúde.

   Esqueceu-se de dizer que 80% desses idosos sempre estiveram isentos dessas taxas!!!

  Os outros 20% vão pagar por igual, sejam banqueiros ou modestos funcionários aposentados! (socialismo oblige).

   O impacto desta medida, segundo Sócrates, é de 5 milhões de €/ano; o orçamento da saúde é superior a 2 mil milhões.

   Obrigado José Sócrates!

     


 

  

emgestaocorrente às 21:37

Março 05 2008

    

   Luís Filipe Meneses, em entrevista ao Jornal de Noticias, afirmou que o PS e o "Eng.º" Sócrates não merecem estar no governo nem à frente nas sondagens.

   Toda a gente de acordo!

   O mais espantoso é que o Dr. Meneses também afirmou que o PSD ainda (sublinho o "ainda", que em quase todas as citações tem sido escamoteado) não merece passar para o 1º lugar nas sondagens.

   Este é o drama do país!

    


 


Fevereiro 15 2008

   

   O Jornal Torrejano desta semana publica mais uma excelente e imperdível crónica de José Ricardo Costa que, aqui e com uma grande vénia, se transcreve:

       

Dizia-me há dias uma colega minha que as minhas crónicas andavam amargas, longe do humor e jovialidade de outros tempos.

Em vez de desanimar, decidi fazer-lhe a vontade e escrever alguma coisa mais bem disposta. Comecei então a pensar nalguns membros do governo para ver qual deles poderia contribuir para recuperar o meu alienado sentido de humor.

Eis senão quando dou por mim a levar um tremendo murro no estômago que me atira de novo para o tapete do pessimismo: o sentimento de horror perante as casas projectadas pelo engenheiro Sócrates na altura em que o engenheiro era mesmo engenheiro na câmara da Covilhã.

Murro fatal. Do tão ansiado riso passei de novo ao desespero, tendo pois a minha colega que esperar por novas oportunidades (esta saiu-me sem querer), até os normais circuitos neurológicos do meu cérebro deixarem de estar diluídos no fel do desgosto perante a ausência de gosto do ex-ministro do ambiente.

O meu primeiro pensamento foi de natureza psicanalítica. E toda a gente sabe que é de coisas tristes que se fala quando se fala de psicanálise.

Quando os pais de Sócrates se divorciaram, tinha ele 5 anos, ficou com o pai, arquitecto, na Covilhã, enquanto os dois irmãos foram com a mãe para Cascais. Ora, 5 anos é a idade do complexo de Édipo, aquela coisa dos rapazes matarem simbolicamente o pai.

Só que havia aqui um problema. Longe da mãe, não teria dado lá grande jeito matar o pai. Ora, é aqui que eu avanço com a minha arrojada teoria. Já que não o pôde fazer na altura própria, as horripilantes casas de Sócrates foram um mecanismo subconsciente de matar o pai arquitecto. Simbolicamente, claro, mas sobretudo de desgosto.

Sei lá, como se a Scarlett Johansonn, para não ficar parecida com mãe, fizesse uma plástica para ficar parecida com a Manuela Moura Guedes.

O próprio autoritarismo e mau feitio de Sócrates podem resultar de uma necessidade subconsciente de subjugar o pai, sobretudo depois deste o ter derrotado e humilhado enquanto número dois da lista do PSD à câmara da Covilhã.

Porém, não querendo eu explorar a vida privada do engenheiro, abandonei por completo tais especulações.

Mas a minha obsessão pelo pitoresco e autárquico sentido estético do ex-ministro do Ambiente não me largou. E foi isso que me fez pensar no sentido do seu sucesso político e social num país como Portugal.

O engenheiro, em popularidade, está bem acima do seu governo e do parlamento. Não deixa de ser estranho, se pensar que já não deve haver quem não se desmanche a rir sempre, e é quase sempre, que fala com aquele ar de quem se sente Moisés guiando o povo pelo deserto.

Só que, neste caso, mais no sentido da anedota judaica: guiando o povo de Israel pelo deserto mas para depois o largar no único sítio do Médio Oriente onde não existe petróleo.

Mas aí é que está. Na very, very Europe’s west coast, os seus projectos na Rapoula, Valhelhas ou Covadoude, são um fortíssimo motivo de orgulho. O gosto de Sócrates é o gosto dos portugueses. Ou, se quiserem: vice-versa.

As casas de Sócrates, numa altura em que ainda não vestia Armani, são um símbolo da portugalidade. Hoje, vestido de Armani, Sócrates, é o filho que todos os portugueses gostariam de ter, num tempo em que já não se sobe na vida a pulso mas à vara.

Apesar de ser mais conhecido por correr, Sócrates é o típico português que, na vida, conseguiu saltar à vara, qualquer coisa que afaga o inconsciente colectivo dos portugueses.

Saltar à vara, antigamente, era apenas uma modalidade desportiva. Hoje, significa subir na vida, subida que pode ir desde o sopé em Mogadouro até ao cume dos dois maiores bancos portugueses, bastando para isso fazer um estágio de alpinista no PS e um curso de Relações Internacionais da universidade Independente.

O engenheiro das casinhas da Guarda, tal como Armando de Mogadouro ou, em tempos, o seminarista de Santa Comba Dão, continua a ser um dos "nossos" em Lisboa. E os portugueses apreciam esses vestígios de provinciano que singrou num meio do qual se sentem arredados, de uma burguesia lisboeta e portuense que frequentou os melhores colégios e que no berço bebeu chá e comeu sopa de letras inglesas, francesas ou alemãs, em vez de sopinhas de leite e farinha Maizena.

Sócrates é insuportavelmente arrogante? Mas os portugueses gostam de políticos arrogantes. É por isso que aguentaram Salazar tanto tempo e deram a segunda maioria a Cavaco. É também por isso que gostaram menos de Caetano e de Guterres.

Tivesse ido o José para Cascais com a mãe e provavelmente não seria o José que conhecemos. Acho que teríamos hoje um arquitecto simpático em vez de um engenheiro arrogante.

Perdoe-me o jargão. Mas é mesmo caso para dizer que Freud explica.

    

josericardoccosta@gmail.com

  


Valhelhas Europe’s West Coast


mais sobre mim
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


links
pesquisar
 
WEBOSCPE
Colocado a 1/10/2008
blogs SAPO