Em gestão corrente ...como o País...

Agosto 18 2008

     

   Ontem, na fronteira espanhola, o gasóleo estava a 1.191/L e a gasolina 95 a 1.176.

   Ou seja: menos 26$40 por litro de gasóleo e menos 56$40 por litro de gasolina 95.

   Num depósito de 60 L, como o meu, abastecer em Espanha, fica por menos 1.584$00 e 3.384$00, respectivamente!!!.

   Há "socialistas" menos ladrões que outros...!

    


 


Julho 13 2008

         

Estas são a últimas casas e o último rochedo português,

junto da fronteira de Marvão.

 

    

Este é o primeiro rochedo espanhol,

menos de 1 km de distância.

       

   

Pois bem:

em menos de 1 km

a gasolina 95 passa de 1,533 para 1,251 €

(56$40 de diferença por litro)

e o gasóleo de 1,432 para 1,309 €

(24$60 de diferença por litro).

Num depósito de 60 L você poupa:

1.576$00 em gasóleo ou 3.384$ em gasolina.

Só quem não poder ou for louco é que se abastece em Portugal!!

E já agora:

a botija de gás, em Espanha, é metade do preço!!!

 


 


Abril 15 2008
       
   Laurinda Alves, no seu blogue, publica hoje o post  que a seguir se rapina com a devida vénia e concordância ( e à atenção de LFM!)
Mulheres no governo em Espanha

 

É impossível ficar indiferente à constituição do novo governo de Zapatero. Anunciado ontem oficialmente perante uma bateria de jornalistas, fotógrafos e câmaras de TV, ficámos a saber que há mais ministras do que ministros e que, pela primeira vez em Espanha, há uma mulher na pasta da Defesa.

 

Carme Chacón, 37 anos, grávida de 7 meses, foi a estrela do dia. Passou revista às tropas perfiladas com o seu antecessor ao seu lado, e soube manter a pose e o aprumo que a circunstância exigia. A passagem de testemunho entre ministros da Defesa teve um impacto brutal em quem assistiu. Primeiro pela circunstância de Carme ser mulher e depois por estar à espera de um filho que nasce daqui a dois meses.

 

Esta primeira imagem oficial de Carme Chacón fez disparar instantaneamente a popularidade de Zapatero e do seu novo governo. Mas houve mais! Zapatero apostou forte e decidiu criar uma nova pasta: o Ministério da Igualdade.

 

Bibiana Aído, de 31 anos, é a nova Ministra do novo Ministério da Igualdade e a sua nomeação não deixa de ser igualmente surpreendente. Passe a redundância, a realidade desta nomeação mostra que Zapatero quer ir muito 'à frente' no seu tempo. Por dar lugar e poder às mulheres e por confiar nas gerações mais novas.

 

Os 31 anos de Bibiana Aído e a gravidez evidente (e quase de termo) de Carme Chacón dizem muito nos dias que correm. Embora não seja fã de Zapatero tiro-lhe o chapéu pela ousadia com que rasga o horizonte governamental e institucional. Não só investe na competência e inteligência femininas, como não se importa de 'esperar' que a nova ministra da Defesa tenha o seu filho e fique de baixa nos primeiros tempos. Mais, acredita que após o parto Carme continua a ser a mulher mais apta para o serviço.

 

Zapatero contraria assim a lógica em vigor em muitas empresas, que desaconselham as mulheres a terem filhos para poderem evoluir na carreira e serem produtivas. Pobres empregadores estes que acreditam que uma mulher é mais produtiva e mais eficiente se a sua vida pessoal e a sua evolução profissional forem condicionadas (ou mesmo prejudicadas) pelo facto de quererem constituir família.

  

Gostei do que vi ontem e fico atenta à performance das novas ministras espanholas e destas duas em particular.  



publicado por Laurinda Alves às 12:01

Carme Chacón será ministra de Defensa

     



Março 19 2007

           

      O Diário de Noticias de hoje informa que o número de alunos das escolas públicas alentejanas que optou pela aprendizagem do espanhol como 2ª língua triplicou nos últimos 2 anos.

      Assim, de 2004 para 2006, o nº de alunos a aprenderem espanhol, naquela região, passou de 786 para 2.477 e o nº de turmas de 48 para 280.

      A estes números há que somar os que frequentam aulas de castelhano em instituições privadas, em nº indeterminado.

      O acréscimo de alunos de castelhano verifica-se nos 3 distritos, sendo maior em Beja; no entanto, o maior número absoluto ocorre em Portalegre, provávelmente por ser o distrito em que as principais cidades (Portalegre, Elvas, Campo Maior) se localizam junto à fronteira e perto dos maiores centros universitários espanhóis fronteiriços (Badajoz, Cáceres).

      O castelhano está a substituir o francês talvez por ser mais fácil, mas, principalmente, porque as familias e as próprias crianças e jovens reconhecem maior importância e utilidade, para o futuro na língua castelhana.

      Carolina, 13 anos (Évora), ouvida pelo DN declara que estuda castelhano para poder matricular-se em Medicina em Badajoz, mesmo que consiga o ingresso numa faculdade portuguesa!

      Ricardo, 12 anos (Évora), quer frequentar a universidade de Barcelona, ou outra qualquer espanhola!

      Margarida, 13 anos, quer seguir os seus estudos em Badajoz.

      Várias conclusões se podem tirar destes factos: uma é de que a língua francesa perde rápidamente terreno em relação à castelhana (acompanhando a perda de influência da França na politica internacional); a outra é que a Espanha é cada vez mais atractiva para os portugueses, mesmo de tenra idade; outra, ainda, é que o sistema escolar português (universitário) merece cada vez menos reconhecimento dos nossos cidadãos logo desde a infância.

      Observação final: para se colonizar um país e um povo é mais eficaz atraí-lo pelas melhores condições sociais e pela melhor qualidade de vida e de ensino que pela invsão militar!

     

 

     

      


emgestaocorrente às 15:00

mais sobre mim
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


links
pesquisar
 
WEBOSCPE
Colocado a 1/10/2008
subscrever feeds
blogs SAPO