Em gestão corrente ...como o País...

Novembro 07 2009

 

   Terapias

 

   Um cronópio forma-se em medicina e abre um consultório na rua Santiago del Estero. Aparece um doente a contar suas maleitas e que de noite não dorme e que de dia não come.

   - Compre um grande ramo de rosas - diz o cronópio.

   O doente vai-se embora muito admirado, mas compra o ramo e fica logo curado. Vai à do cronópio para lhe agradecer encarecidamente e além de pagar oferece, formosa lembrança, um ramo de rosas. Vai-se embora e o cronópio fica dente, tem dores por todos os lados, de noite não dorme e de dia não come.

 

Julio Cortázar, in "Histórias de Cronópios e de Famas", tradução de Alfacinha da Silva, Ed. Estampa, 1973

 


 


mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30


links
pesquisar
 
WEBOSCPE
Colocado a 1/10/2008
blogs SAPO