Em gestão corrente ...como o País...

Março 24 2009

   

   O Instituto Nacional de Estatística (INE) apresentou a semana passada uma nova estimativa sobre a evolução demográfica do nosso país para os próximos 50 anos.

   Conjugando a evolução previsível de vários factores (fecundidade, mortalidade, migrações) traçam vários cenários para 2060.

   O cenário que consideram mais provável baseia-se na hipótese de que o número de filhos por mulher em idade fértil subirá ligeiramente (de 1,3 para 1,6), que a esperança de vida subirá gradualmente de 82 para 87,9 anos e que o saldo migratório (diferença entre entradas e saídas do país) também crescerá.

   Neste caso, estima-se que haverá 271 idosos para cada 100 jovens, bastante mais do que acontece agora (116 para 100).

O rácio de dependência de idosos (relação entre a população idosa  e a população entre os 15 e os 64 anos) também vai aumentar de 3,8 activos para cada idoso (2007) para 1,8 para 1 em 2060.

   Estes factos colocam problemas  de solução extremamente difícil:

   1. Como assegurar o Estado Social e manter as prestações sociais, especialmente as reformas, se vai haver cada vez mais gente e durante mais anos a receber e cada vez menos activos a contribuírem para sustentar o sistema?

   2. Como financiar o sistema de saúde se este envelhecimento acelerado vai exigir cada vez mais recursos humanos, técnicos e financeiros e se as despesas vão disparar com o peso cada vez maior de doentes com poli patologias e com doenças crónicas que vão durar cada vez mais tempo?

  

(Post escrito com base em reportagem  do Público de 20 de Março, pág.9)

 


 


mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31


links
pesquisar
 
WEBOSCPE
Colocado a 1/10/2008
blogs SAPO