Em gestão corrente ...como o País...

Outubro 28 2009

 

 

   Portugal suporta uma crise, grave e duradoura, que é só sua e que só aos Portugueses compete resolver.

   Já desperdiçámos um tempo precioso e nada fizemos para atenuá-la, muito menos para superá-la.

   Poderemos empobrecer lentamente até que da Europa só nos reste a geografia.Poderemos fingir que tudo está no bom caminho, mesmo quando sabemos que não está. Poderemos confiar nos acasos, com um optimismo que é apenas uma imensa irresponsabilidade.

   Uma coisa, porém, é certa: se não conseguirmos "mudar" o essencial da nossa sociedade, teremos o futuro comprometido.

   A economia portuguesa regista uma década tão medíocre que só encontra paralelo próximo no fim da Monarquia e no princípio da República.

   Daqui emergem fenómenos sociais graves, desiquilíbrios financeiros perigosos, desmedidos endividamentos público e externo.

   Chegámos à beira do precipicio e, se dermos um passo em falso ou tardarmos na reacção, ninguém evitará um enorme sobressalto.

 

Medina Carreira,

"Portugal que futuro? O tempo das mudanças inadiáveis"

Ed. Objectiva, Lisboa; Setembro de 2009

 


 

emgestaocorrente às 22:09

Outubro 16 2009

 

   João de Deus Pinheiro saiu da vida universitária pela mão do Prof. Cavaco Silva que o convidou para Ministro da Educação.

   Mais tarde transferiu-o para Ministro dos Negócios Estrangeiros, onde se desentendeu com o delfim Durão Barroso, passando este a Ministro e aquele a Comissário Europeu.

   Constando que se dedicava mais ao golfe (e não só) do que aos trabalhos da Comissão Europeia, foi para Deputado Europeu.

   Até aqui, tudo bem. Um percurso próprio de um barão do grupo da "boa moeda", acumulando honrarias, mordomias e honorários correspondentes a um membro dessa confraria monetária.

  E até teve tempo de escrever um romance pelo meio!

   Agora, quando a Dr.ª Manuela tocou a rebate e formou listas de deputados só com gente fina, impoluta e da confraria da "boa moeda" (como o Dr. Preto e quejandos), Deus ressuscitou e encabeçou a lista do PSD em Braga.

   Eleito, tomou posse ontem à tarde como os outros deputados.

   Meia hora depois renunciava ao cargo!

   Pudera, na Assembleia da República, ao contrário do que se crê, as prebendas não entusiasmam tão divinas personagens!

   Uma vergonha para ele, para o Partido, para a Dr.ª Manuela e até para mim que, como sempre, votei PSD!

   Estou farto da "boa moeda"!

   Venha, rapidamente, uma moeda normal!

  


 


Outubro 07 2009

 

   Acabo de ouvir na rádio que o Dr. Carvalho da Silva apoia o Dr. António Costa para a Câmara de Lisboa.

   O Dr. Costa foi vice Primeiro Ministro deste governo e é presidente da Câmara e candidato a novo mandato pelo PS.

   O Dr. Carvalho é o crónico dirigente da CGPT, braço sindical do PCP, dirigente destacado do próprio PCP e considera o Código do Trabalho deste governo o maior ataque, feito após o 25A, aos trabalhadores portugueses.

   O PCP apresenta como candidato à Câmara de Lisboa o eterno Dr. Rúben, considerando o Dr. Costa como um desastre regional e nacional.

   Agora adivinhem quem é que o Dr. Carvalho apoia para a Câmara de Lisboa?

   Não caro leitor(a)! Você é louro(a) varrido!

   O Dr. Carvalho apoia o Dr. Costa!!!

 

   Por favor tirem-me deste filme que eu já não tenho pachorra!!!

 


  

emgestaocorrente às 15:04

Outubro 06 2009

 

 

 

   ALGUÉM ME EXPLICA O QUE PASSOU NAS 2 ÚLTIMAS SEMANAS?
   PRESIDENTE DA CARITAS: A POBREZA TEM AUMENTADO MUITO, ESPECIAL/ NAS CLASSES MÉDIAS, ONDE É ENVERGONHADA.

   SÓCRATES NOS DEBATES E NOS COMÍCIOS DAS LEGISLATIVAS: DIMINUÍMOS EXTRAORDINARIAMENTE A POBREZA EM PORTUGAL!
   SERÁ QUE FIQUEI "LOURA"???

 

 

emgestaocorrente às 13:23

Outubro 06 2009

A gestão pelo terror

 

 


 Louis Pierre Wenes, após o suicídio de 24 colaboradores da empresa, em dezoito meses, é uma tentiva de ocultar a natureza das coisas. Os sindicatos acusam Wenes de ter introduzido a gestão pelo terror. O problema, porém, não reside em Wenes, mas na própria natureza da economia mundial. Ela é pensada em analogia com a lei da natureza, onde só sobrevive o mais forte. Este acontecimento revela também outra coisa. Os trabalhadores europeus estiveram, durante décadas, resguardados daquilo que acontecia noutros lados. Com a abertura das fronteiras, com a expansão do comércio mundial, com a concorrência levada ao extremo, os europeus não percebem o que lhes está a acontecer. Não apenas irão ficar cada vez mais pobres, mesmo que as economias nacionais fiquem mais ricas, como os regimes de trabalho serão cada vez mais duros e prolongados. O tempo das amplas classes médias europeias chegou ao fim. Sem o contraponto dos regimes comunistas e o medo que estes geravam, a essência da economia de mercado revela-se em toda a sua natureza. Dentro desta natureza está a consideração de que os homens não são mais do que mão-de-obra, isto é, mercadoria que se compra, vende e joga no lixo, quando não é precisa.

 

 

 

emgestaocorrente às 11:50

Outubro 06 2009

 

    IRS: 95% para o governo, 5% para as autarquias.

   É destes 5% que o governo quer que saiam os incentivos para fixação no interior!!!

 

    Tirem-me deste filme que já não tenho pachorra!

 


 

emgestaocorrente às 11:46

Outubro 06 2009

 
   Acabo de ler isto no site da SIC:
 
   Almeida Santos diz que Portugal não precisa “de submarinos para nada"
   O presidente do Partido Socialista, Almeida Santos, disse na noite de segunda-feira em Alenquer que Portugal "não precisa de submarinos ...para nada", defendendo antes a compra de armas.
   
    Mas não foi o governo PS/Guterres que comprou 5 submarinos, mais tarde reduidos para 2 pelo governo Barroso???


 

emgestaocorrente às 11:41

Outubro 04 2009

  

   Esta noite, na RTP1, Marcelo Rebelo de Sousa elogia Pedro Santana Lopes.

   Está-se mesmo a ver o filme: Marcelo precisa dos santanistas para o assalto ao lugar da avó Manuela!

 


 

emgestaocorrente às 23:55

Outubro 04 2009

 

   Na passada 6ª feira:

   - Neste fim de semana vai haver um jantar no Palácio dos Desportos com centenas de pessoas; eu vou porque entro nas listas do PS; e é à borla, oferecido pelo Sr. Rodrigues, presidente da Câmara!

   (Palavras de manicure, em salão de Torres Novas)

   E eu a pensar: Ai Rodrigues, Rodrigues, onde tu andas a desbaratar o dinheiro dos meus impostos!!!

 


 


Outubro 04 2009

 

   Estava a ver as notícias e vi Jerónimo de Sousa a apelar à população de um concelho do sul para dar a maioria absoluta à CDU nas próximas eleições autárquicas.

   Lembrei-me, então, que há poucas noites, o mesmo Jerónimo de Sousa, considerava uma grande vitória da CDU nas legislativas o facto de o PS ter perdido a maioria absoluta.

   Assim vai a luta de classes: entre maioria absolutas virtuosas (as nossas) e maiorias absolutas pecaminosas (as dos outros)!

   Haja Deus, que a paciência já me falta!

 


 

emgestaocorrente às 22:51

Outubro 04 2009

 

 

Bolas na piscina ... à espera dos miúdos!

 


 

emgestaocorrente às 22:43

Outubro 04 2009

  

    Para a "esquerda" portuguesa a Irlanda era a última aldeia gaulesa e os irlandeses eram valorosos Astérixs prontos a combater e a vencer as invasões dos bárbaros europeus, povos, como se sabe, andrajosos e sem abrigo, que cobiçavam as riquezas etílicas da velha Irlanda.
   O problema é que os irlandeses, a braços com grave crise económica e a precisarem urgentemente das verbas europeias, votaram, categóricamente, a favor do Tratado de Lisboa.
   Passaram, súbitamente, a ser um povo de carneiros para o PCP e para o BE e, até, aquela risível figura que dá pelo nome de Ilda Figueiredo, veio proclamar que o referendo não tinha sido livre e que os irlandeses tinham sido obrigados a votar pelo sim!!!
   Eu realment vi o Durão Barroso de metralhadora em punho a entrar nos bares irlandeses, mas não sabia a razão!!!
E não se pode mandá-la para a democrática monarquia comunista da Coreia do Norte?

   


 

emgestaocorrente às 13:40

Outubro 02 2009

        

 

 

 

 

ANTÓNIO FERRÃO
óleo s/ tela
114x146

 


 

emgestaocorrente às 11:55

Outubro 02 2009

Tentas, de longe, dizer que estás aqui.
Com peso triste caminha na rua o Outono.
O meu coração debruça-se à janela
a ver pessoas e carros, e as folhas caíndo.

Mastigo esta solidão
como quando era pequeno e jantava
diante dos pais zangados:
devagar, ausente.


Fernando Assis Pacheco, in "A musa irregular"
Ed. Asa, 1997

 

emgestaocorrente às 11:49

mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
29
30
31


links
pesquisar
 
WEBOSCPE
Colocado a 1/10/2008
subscrever feeds
blogs SAPO