Em gestão corrente ...como o País...

Janeiro 06 2008

  

Não canto porque sonho.

Canto porque és real.

Canto o teu olhar maduro,

o teu sorriso puro,

a tua graça animal.

     

Canto porque sou homem.

Se não cantasse seria

somente um bicho sadio

embriagado na alegria

da tua vinha sem vinho.

   

Canto porque o amor apetece.

Porque o feno amadurece

nos teus braços deslumbrados.

Porque o meu corpo estremece

por vê-los nus e suados.

     

Eugénio de Andrade,

in " As mãos e os frutos", 1948 (Poesia 2000 - Fundação Eugénio de Andrade)

   


emgestaocorrente às 22:19

mais sobre mim
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

16
17

22
23
24
25

29
31


links
pesquisar
 
WEBOSCPE
Colocado a 1/10/2008
blogs SAPO